Por que ensinar habilidades emocionais

 

Professores, vocês estimulam seus alunos a desenvolverem habilidades emocionais? Ou já pararam para pensar em como elas são importantes?  para os professores, falta de acompanhamento psicológico e indisciplina dos alunos são os fatores que mais impactam no cotidiano escolar.

Por isso, precisamos (  Como alfabetizar emocionalmente os alunos )   os pequenos. Quando falamos sobre habilidades emocionais, estamos refletindo sobre o desenvolvimento da criança como um indivíduo, seus sentimentos e necessidades. Essas habilidades emocionais são indispensáveis para estimular o amadurecimento pessoal que vai determinar o tipo de cidadão que seu pequeno será.

Separamos algumas das vantagens que essas competências trazem, com dicas para você desenvolvê-las em sala de aula:

Autoconfiança
Precisa falar mais? Sem autoconfiança, ninguém consegue ter a força necessária para lutar pelos próprios sonhos. Por isso, ressalte as qualidades da criança, seja em atividades em sala de aula ou comportamentos com os colegas. Demonstre que você acredita na capacidade dela e assim o aluno vai acreditar na mesma coisa.

Estimule os comportamentos positivos e elogie quando necessário, mas sem exageros. A ideia é criar uma postura em que a criança saiba lidar com críticas. Além disso, dê certa autonomia. Mostre que ela é capaz de realizar certa ações e atividades sozinha, ao mesmo tempo em que deixa claro que você está ali, caso ela precise da sua ajuda.

Coragem
Primeiro passo para estimular as crianças a enfrentarem seus medos é dar espaço para que elas se expressem. Ter medo de algo que não entendemos ou não conhecemos é normal e esperado dos pequenos. Então dê abertura para que eles se sintam à vontade para revelar suas aflições.

Isso será muito importante para que as crianças consigam entender e encarar muito dos seus receios. Seja em exercícios e práticas escolares ou em casa, com medo do escuro. Para isso, planeje abordar livros e filmes que falem sobre medos. É legal também que os alunos compartilhem entre si suas aflições, em    dinâmicas para as primeiras semanas de aula , e com os pais e membros da família.

Empatia
Estimule os alunos a confraternizarem entre si e a aprenderem a respeitar as necessidades do outro. Observe os comportamentos em momentos de conflito entre eles e faça com que todos reflitam sobre as atitudes. É fundamental que valorize ações das crianças que demonstram respeito e a intenção de ajudar os colegas.

Explique que isso é a empatia e que eles devem sempre optar por ver as coisas pela perspectiva do outro. Pense em atividades em que cada aluno deve colocar-se no lugar do colega e incentive-o sempre a se expressar em simulações em sala de aula.

  Frustrações
Ensine seus alunos a lidarem com suas frustrações. Na verdade, esse ensinamento deve vim junto com os pais, que saibam dizer não ou mostrar que não se pode ter tudo o quiser. É com pequenas doses de frustração que a criança vai aprender a lidar com as adversidades e a superar os problemas sem se deixar abater.

“Não é hora de brincar”, “está na hora de ir embora”, “aí não pode” e entre outras expressões que são simples, mas com um peso muito importante na formação das habilidades emocionais das crianças. Elas ficarão frustradas por não terem o que querem, mas aprenderão a superar.

Persistência
Prepare atividades que incentivem seus alunos a persistirem no êxito. A ideia é fazer com que a criançada perceba que, por mais que não consigam completar logo de cara, não quer dizer que não irão ter sucesso. Isso irá mostrar que desafios sempre vão aparecer e que não devem desistir de início. Pelo o contrário: estimula as crianças a serem persistentes e traçarem metas, superarando os obstáculos que podem surgir.

Autoconhecimento
“O que eu gosto?”, “como eu me sinto em tal situação?”, “Por que não gosto de certa atitude?”… Essas são algumas das indagações que os pequenos devem fazer para se conhecerem. Lembra daquelas dinâmicas para primeira semana de aula? Inclua no planejamento exercícios de autoconhecimento e faça com que a criança se descubra com o tempo. E isso pode ser feito também em pequenos detalhes, como cores favoritas, brinquedos, brincadeiras, desenhos e gêneros literários. Pergunte sempre o que ela gosta e porquê. Isso fará que o aluno pense sobre seus valores e interesses.

 Comunicação
Converse! Instigue sempre uma boa comunicação com seus alunos e dê voz para que se sintam à vontade para se expressarem. Perguntem sobre o seu dia, o que gostariam de aprender no dia e o que planejam para o fim de semana, por exemplo.

Uma boa atividade para promover diálogos entre as crianças também é pedir para que contem sobre uma história ou como foi suas férias. O mesmo vale para os pais, que devem mostrar interesse na fala dos filhos sobre seu dia e práticas da escola.

Tudo isso ajuda os pequenos a estruturarem os próprios pensamentos, organizarem as ideias e transformá-las em frases. Além de sentirem a necessidade de contar naturalmente sobre si e seus gostos. Estas habilidades são formas de ajudar no desenvolvimento das crianças e a mostrar que elas podem se expressar de diversas maneiras. Assim como devem compreender que há certas regras sociais a serem seguidas e que é muito importante se conhecerem e saberem seus limites.

E lembrem-se: assim como ensinar matérias e conteúdos pragmáticos, ensinar habilidades emocionais também é educação. Por isso, professores e toda a equipe pedagógica, planejem com carinho maneiras de incrementarem o crescimento emocional dos seus alunos. É claro que este é, novamente, um trabalho coletivo, que deve ser realizado em conjunto com os pais.

Além de alunos melhores, todos estarão formando pessoas melhores. Indivíduos que saibam conviver e a respeitar o próximo. Afinal de contas, esse é um dos nossos maiores objetivos, né?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *