Seminário Escola sem Barreiras reúne especialistas do IBC e do INES para capacitar professores

A primeira palestra foi da professora do IBC, Márcia Noronha, sobre a surdocegueira.

Cerca de 500 professores do Maranhão e de outros estados do Brasil passaram  três dias se aprofundando nas teorias e práticas em educação de pessoas surdas e/ou cegas – conteúdos que a cada dia vêm se mostrando fundamentais nas escolas públicas e particulares de todo o País devido ao aumento da população de alunos com limitações auditivas e visuais severas na rede regular de ensino.

Para Ministrar as palestras e realizar as oficinas, o Instituto Benjamin Constant, instituição parceira na realização do seminário, colocou à disposição do evento as professoras Maria da Glória Almeida, Márcia Noronha, Regina Kátia Cerqueira, Patrícia Rosa e Bianca Della Libera. As professoras em suas palestras discorreram  sobre as várias modalidades de acessibilidade necessárias para a inclusão efetiva dos estudantes com deficiência visual nas atividades escolares.

        As oficinas tiveram como temas: Surdocegueira, Sistema Braille e Literatura, Orientação e Mobilidade, Recursos Didáticos e Informática.

Os profissionais do  Instituto Nacional de Educação de Surdos, ministraram também as palestras sobre acessibilidade escolar – só que  voltadas à deficiência auditiva,trabalharam as oficinas sobre o assunto, como:  Educação Bilíngue (Prof.ª Regina Campelo); Libras como L1 e L2 (prof. Paulo André Bulhões); O Surdo com Outros Comprometimentos (prof. Luciano Furtado); A Atuação dos Tradutores de Libras nos Espaços Públicos (Ramon Linhares, tradutor e intérprete de Libras) e Língua Portuguesa como L2 para Surdos (prof.ª Verônica Rodrigues).

A pró-reitora de Ensino do IFMA, Ximena Maia da Silva, representou o reitor do Instituto, Roberto Brandão, no evento. Ela fez questão de homenagear o idealizador e organizador do evento, o professor João Batista Botelho, chefe do Departamento de Direitos Humanos e Inclusão Social do IFMA.

“O nosso instituto vem se esforçando para garantir a maior acessibilidade possível aos alunos com deficiência e sabemos que há muito a avançar ainda nesse sentido. Mas temos o maior orgulho de termos na estrutura da Pró-Reitoria de Ensino um departamento dedicado a esta questão chefiado por uma pessoa com o grau de comprometimento com a causa como o professor Botelho”, disse a professora.

Resultado de imagem para imagem do diretor-geral do INES, Marcelo Cavalcanti

O diretor-geral do INES, Marcelo Cavalcanti, falou sobre a importância de ampliar o acesso da população surda ao correto entendimento do que acontece no seu entorno, no País e no mundo. “É preciso que cada vez mais essas pessoas tenham como apreender a realidade da forma mais objetiva possível, sem os filtros das pessoas que o circurdam. Só assim ele vai poder formar conceitos próprios sobre os fatos passados e presentes, compreendendo o contexto das imagens que eles apenas veem sem entender”, ressaltou Cavalcanti.

Para o diretor-geral do IBC, João Ricardo Melo Figueiredo, este seminário é histórico.   “Apesar da proximidade que nós temos do INES, nós nunca havíamos nos reunido para oferecer uma capacitação conjunta e isso é da maior importância.  É preciso que todos nos unamos para avançarmos na inclusão das pessoas com deficiência visual e auditiva do momento em que elas entram na escola, até a saída.  Não basta recebermos estes alunos.  Precisamos ensiná-las de fato e, para isso, é preciso um grande esforço de capacitação de toda a comunidade escolar.  E esta é uma das missões do Benjamin Constant e do INES”,  disse João, enfatizando o ponto de intercessão na atuação dos dois institutos e que, por si só, justificaria a realização de futuros eventos similares: o atendimento à pessoa surdocega.

Foi exatamente o tema da surdocegueira que abriu as palestras do seminário.   A professora Márcia Noronha, coordenadora do Centro de Estudos e Pesquisa do IBC, fez uma explanação geral sobre os desafios que envolvem o processo de abrir um canal de comunicação que permita o surdocego interagir com o outro e expandir o mundo dessa pessoa que, sem uma ajuda especializada, é limitado apenas pelo que pode ser alcançado com as mãos.

O Seminário Escola sem Barreiras encerrou nessa tarde de   quinta-feira (30) e para não se perder nada de todo que aconteceu será produzido um audiolivro com todas as palestras do evento. A obra será produzida pelo IFMA e será disponibilizada no próprio site do Instituto, assim como nos sites do IBC e do INES.

 A imagem pode conter: 3 pessoas, multidão e área interna

A imagem pode conter: 4 pessoas, incluindo Lurdes Nascimento e Rosangela Jesus, pessoas sorrindo, pessoas em pé

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta