Siqueira é um sobrenome de origem portuguesa, considera-se como sendo uma variação de Sequeira, derivado de Sequeiro lugar seco, que não é regado. Desse modo, pode-se classificar este como sendo um sobrenome toponímico, ou seja, de origem geográfica.

        Siqueira, me permite chama-lo assim, não poderia trata-lo de forma diferente, pois sua arrogância, desiquilíbrio psicológico e a falta de boa postura envergonha o cargo que ocupa, até me pergunto: Como se deu as articulações jurídicas para você chegar a ser desembargador? O senhor  passou a ser  a pior vergonha na magistratura brasileira, até se pensava que seu desrespeito com o policial tinha sido seu primeiro surto de homem mais que baixo, para a surpresa  de todos, o fantástico desse domingo (26) lhe desmascarou totalmente, mostrando coisas horríveis a seu respeito, uma pessoa do seu nível seria capaz de matar a sangue frio , o senhor não tem equilíbrio para usar uma arma, é perigoso em um descontrole até matar alguém.

        O povo Brasileiro  repudia essa medíocre ação, e  elogia a serenidade do policial que manteve sua autoridade para  lhe multar , sua desculpa  não mudará o conceito sobre sua pessoa, essa marca negativa já ficou na  mente  de  todos, espera-se que depois  de tudo o que aconteceu o CNJ, junte os arquivos contra os seus crimes  e tomem as medidas  justas.

             Veja mais

Corregedor do CNJ investiga desembargador Siqueira

Desembargador que humilhou guarda já foi acusado de agressões verbais e física e uso de pistola

Há dezenas de processos envolvendo o magistrado, dono de uma ficha disciplinar extensa e também conversou com desembargadora que convive com Eduardo Siqueira há 30 anos: “Dava sempre uma sensação de que ele queria se colocar acima de todos”.

Esta semana, o desembargador que humilhou um guarda municipal em Santos, litoral de São Paulo, divulgou uma nota pedindo desculpas pelo mau exemplo. Mas palavras desmedidas e atitudes reprováveis não são novidade na carreira dele.

Ao longo desta a semana, os repórteres Valmir Salaro e Renato Ferezim vasculharam dezenas de processos envolvendo o magistrado, dono de uma ficha disciplinar extensa. Entre os episódios mais graves estão agressões verbais e física e o uso de uma pistola, em pleno tribunal.

O Fantástico também conversou com uma desembargadora que convive com Eduardo Siqueira há 30 anos e que chegou a processá-lo por injúria e difamação na época em que os dois trabalhavam juntos como juízes. Ela contou um pouco sobre a postura do colega e recordou um episódio envolvendo uma funcionária do Fórum.

“Você é nova, você precisa aprender a se colocar como juíza. Ascensorista é alguém inferior a nós, você não pode perguntar da saúde dela, assim como se você fosse amiga dela”, conta ela sobre o que ouviu de Siqueira na época. “Dava sempre uma sensação de que ele queria se colocar acima de todos”, diz.

Nós procuramos o desembargador para comentar os fatos que mostramos nesta reportagem, mas ele não respondeu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui