Aos 92 anos, morre o Ex-Veredor, jornalista, Reginaldo Telles, o último dos históricos do PDT.

Faleceu na noite deste domingo (7), aos 92 anos de idade, o militante histórico do Partido Democrático Trabalhista (PDT) no Estado do Maranhão e ex-vereador de São Luís, Reginaldo Telles.

O corpo está sendo velado na Pax União na Rua Grande, Centro da capital.

O advogado e também jornalista teve uma relevante história politica e social e foi um dos fundadores do PDT juntamente com a esposa Maria Lúcia Soares Telles, com quem teve 11 filhos e faleceu em setembro de 2016.

Aos 92 anos, faleceu na noite deste domingo (06), em São Luís, o jornalista Reginaldo Telles (no registro com Maria Lúcia no lançamento de uma de suas obras), um dos fundadores do PDT no Maranhão e um dos amigos mais próximos do ex-governador Jackson Lago e do ex-deputado Neiva Moreira, com quem militou na imprensa local como redator do Jornal do Povo.

Além do Jornal do Povo, Reginaldo trabalhou também no jornal O Combate e escreveu diversos livros sobre poesia, crônicas etc.

Ele foi um dos fundadores no Maranhão do Partido Democrático Trabalhista (PDT), criado por Leonel Brizola após seu retorno do exílio. Por este partido, disputou o Governo do Estado em 1982.

Reginaldo foi ainda vereador de São Luís, enttre 1951-1955; secretário executivo do Fundo de Revenda do Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Maranhão (1970-1971); superintendente do extinto Banco do Estado do Rio de Janeiro (Banerj); assessor de Comunicação da Prefeitura de São Luís (1990-1992) e secretário-chefe de Gabinete da Vice-Prefeitura de São Luís (1993-1996).

Sempre identificado com os movimentos populares, ele foi também um dos coordenadores do movimento pela anistia dos exilados e cassados pelo regime militar.

Como ex-militante do PDT, tive a oportunidade de participar das rodas de conversa com o Dr.Jackson Lago, Neiva Moreira, Maria Lúcia Teles, João Francisco e o jornalista Reginaldo Teles,todos já falecidos, ambos deixaram seus legados para as próximas gerações, legado que infelizmente nenhum militante dessa nova geração se habilitou a tomar como exemplo de modelo justo e honesto de fazer política, ao contrário, se encantaram pelo poder, provocaram intrigas, racharam o partido e enterraram a história dos históricos, e o último desses históricos partiu dessa vida para se juntar aos que já se foram.Vá com Deus meu amigo

Deixe uma resposta