Suzane Von Richthofen em liberdade.

Suzane Von Richthofen é a protagonista de um dos maiores crimes hediondos praticados no Brasil. A jovem, condenada por matar os pais juntamente com os irmãos Cravinhos, em 2002, está presa na penitenciária P II, em Tremembé, no interior de São Paulo (SP), desde 2015. Naquela unidade prisional, Suzane cumpre a pena em regime semiaberto, após ter conquistado o benefício na Justiça. No entanto, a legislação pode garantir que ela possa cumprir a pena em liberdade, como já acontece com um dos coautores do crime, Cristian Cravinhos so que, nesta semana, um novo impasse vai dificultar que ela alcance a tão sonhada liberdade.
É que o Ministério Público solicitou a realização de um novo exame criminológico em Suzane.
O exame é condição necessária para que a Justiça possa dar um parecer em relação ao pedido de mudança no formato da pena pelo assassinato dos pais para o regime aberto.
Suzane apresentou pedido para cumprir pena em liberdade no mês de junho
Suzane von Richthofen vem tentando, desde o mês de junho cumprir a pena em liberdade. A jovem, que foi condenada a 39 anos de prisão pelo crime hediondo que cometeu, apresentou um pedido à Justiça para que possa cumprir o restante da pena em liberdade.
Conforme o que prevê a legislação, Suzane já cumpriu o prazo mínimo da pena para que possa migrar para o regime aberto, ou seja, já cumpriu um sexto da pena.
A estratégia da defesa de Suzane, que tem como advogado um defensor público, é mostrar que, além de ter cumprido um sexto da pena, a detenta tem bom comportamento e poderá cumprir o resto da pena em liberdade.
Suzane, através de seu defensor, pretende trabalhar como costureira em uma confecção na cidade de Angatuba, no interior de São Paulo, onde vive o seu namorado.
Como vai ser o exame que Suzane terá de fazer?
O promotor Paulo de Paulo foi quem apresentou o pedido para que Suzane faça o exame. No entanto, por se tratar de um caso que corre em segredo de justiça, o motivo pelo qual o exame terá de ser feito não foi revelado.

Sabe-se, porém, que esse tipo de exame deve ser feito por um médico psiquiatra, um profissional da área de psicologia ou de assistência social do sistema prisional, nomeado pela Justiça. O exame vai ajudar a identificar se Suzane pode ou não terminar de cumprir a pena em liberdade.
A detenta passou por um exame semelhante em 2014, quando solicitou autorização para cumprir a pena em regime semiaberto.

A intenção do Ministério Público é que o exame seja feito por um profissional que não trabalhe na penitenciária em que Suzane está presa, para garantir que o resultado seja o mais imparcial possível. #Caso de polícia #caso Richthofen.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *