Crise no Governo: Ministro da Justiça Sérgio Moro investiga o partido PSL suspeito de desviar verba pública nas Eleições de 2018

O Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Mouro, determinou a investigação do partido PSL suspeito de desviar verba pública nas Eleições de 2018 por meio de Candidaturas Laranjas.  O Ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, está no centro da crise que envolve as Candidaturas Laranjas no partido PSL. O Vereador Carlos Bolsonaro PSL-RJ chamou o Ministro Gustavo Bebianno de mentiroso após Bebianno dizer que conversou com o Presidente Bolsonaro sobre o caso. O Presidente Bolsonaro endossou o filho. Segunda-feira, Dia 18 de Fevereiro de 2019, o Ministro Bebianno, que foi xingado pelo Presidente Bolsonaro, foi demitido. Os filhos do Presidente da República, Jair Bolsonaro PSL, pretende criar novo partido que seria uma reedição da antiga UDN – União Democrática Nacional. A informação foi publicada pelo jornal O Estadão, O Estado de São Paulo. No entanto, essa operação não deve ser concluída no meio do processo de tramitação da Reforma da Previdência Social, pois poderia atrapalhar a necessidade de aprovar o projeto da Reforma da Previdência. Mas uma corrente de economistas, especialistas em Direito Previdenciário, Centrais Sindicais, CUT e movimentos sociais sustenta enfaticamente que o Déficit da Previdência não passa de um mito, uma manobra contábil, uma construção ideológica usada por políticos Neoliberais para retirar direitos adquiridos e angariar mais recursos para o pagamento dos juros da dívida pública rechaçada pela Secretaria da Previdência Social e por muitos especialistas, a tese da “Farsa” é o argumento mais importante dos que lutam contra a Reforma da Previdência Social, uma imposição muito divulgada na mídia brasileira, exigências das Agências de Avaliação de Risco, do Mercado Financeiro, do FMI e Banco Mundial para ter a receita da Previdência Social desviada para os bancos privados Bradesco e Itaú, os banqueiros ganharem dinheiro e para pagar a dívida pública, aos credores internacionais da dívida do Brasil. A UDN era um partido de Centro-Direita, anti-getulista nos anos 50, que apoiou o Golpe Militar de 31 de Março de 1964 que depôs do poder da Presidência da República, o Presidente João Goulart “Jango”. Manteve o 2º lugar na Câmara dos Deputados até 1962. Seu principal adversário era o PSD – Partido Social Democrático de representação majoritária no Congresso Nacional – o PSD foi refundado em 2011. A nova sigla responsável pelo projeto político de aglutinar lideranças da Direita Nacional que se identificam com o Liberalismo Econômico e com a pauta Nacionalista e conservadora definida pelos Bolsonaros. Nas Eleições de 2018, a UDN ainda em formação e sem registro no TSE – Tribunal Superior Eleitoral foi um dos partidos sondados por interlocutores de Jair Bolsonaro para disputa da Presidência da República em 2018. De acordo com o TSE, o novo partido de 1 dos 75 em fase de criação e está em processo de Homo

Deixe uma resposta