Decepção do povo de Deus: Bolsonaro assina decreto que facilita a posse de armas no Brasil

Armar a população para combater a violência “fragiliza ainda mais o Estado e a Polícia

O presidente Jair Bolsonaro  (PSL) assinou na manhã desta terça-feira 15 um decreto que flexibiliza a posse de armas de fogo no Brasil. O esperado documento foi anunciado depois da terceira reunião do Conselho de Governo, formado pelo presidente, pelo vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) e pelos 22 ministros.

Bolsonaro anunciou que o decreto altera os critérios para a chamada “efetiva necessidade” da aquisição da arma e manutenção desta em casa. Hoje, o interessado apresenta suas alegações e cabe à Polícia Federal, de forma subjetiva, considerá-las válidas ou não. A partir de agora, serão adotados critérios objetivos. Todos que viverem na área rural ou em cidades localizadas em estados com mais de dez homicídios a cada 100.000 habitantes terão direito a adquirir armas e munições.

Segundo o presidente, a decisão se justifica para atender ao referendo de 2005, quando foi rejeitada a proibição do comércio de armas de fogo. O texto não altera as regras relativas ao porte de armas, a autorização para se deslocar com o artefato.

O documento será publicado ainda nesta tarde em edição extraordinária do Diário Oficial da União, também aumenta o tempo de duração da autorização para a posse, que passa de cinco para dez anos.

A tese defendida é a de que o cidadão precisa estar armado porque o Estado não garante a segurança. Achar que o a população precisa se armar para garantir proteção para sua família e patrimônio, mostra que a polícia não serve para nada e que o Estado faliu. Você joga a questão da segurança, que deveria ser pública, na mão do cidadão. E isso é perigosíssimo. Hoje existe uma constatação de que vivemos um problema grave de segurança pública, mas arma não é a solução. Não cabe ao cidadão garantir a segurança das pessoas.

  A imagem pode conter: 1 pessoa, óculos e close-up   Um absurdo essa decisão do Presidente dos conservadores, da elite brasileira,  ele precisa saber que o melhor remédio para diminuir a violência, não está nas armas, a solução é potencializar a educação, proporcionar ensino de qualidade, melhorar a vida financeira do cidadão, gerar mais emprego, ocupar a mente das crianças e da juventude, Bolsonaro precisa saber que um homem chamado Cristo revolucionou o mundo sem usar armas, apenas educou , instruiu pedagogicamente seus discípulos a amar e abominar o ódio, Bolsonaro precisa saber que na sociedade moderna a depressão e os problemas psicológicos entre homens e mulheres aumentam a cada dia, com armas nas mãos fica fácil para resolver qualquer conflito, Bolsonaro precisa saber que armar a população é tornar o homem mais violento e confiante em sua arma, ele ainda não sabe que muitos pastores que fizeram campanha em prol de sua vitória  estão decepcionados, pois os homens de Deus têm como arma a Bíblia, a palavra de Deus.

Bolsonaro precisa saber que nos nove anos anteriores ao Estatuto do Desarmamento, de 1995 para 2003, a taxa de homicídios aumentou 21,4%. Nos nove anos seguintes, de 2003 para 2012, a taxa de homicídios aumentou 0,3%. “Se o crescimento das mortes por armas de fogo ocorresse na mesma velocidade que ocorria antes do Estatuto, mais 121 mil pessoas seriam mortas por arma de fogo no Brasil, entre 2004 e 2013”

Os psicopatas defensores do armamento defendem a tese de que o cidadão precisa estar armado porque o Estado não garante a segurança. Achar que o a população precisa se armar para garantir proteção para sua família e patrimônio, mostra que a polícia não serve para nada e que o Estado faliu. Você joga a questão da segurança, que deveria ser pública, na mão do cidadão. E isso é perigosíssimo. Hoje existe uma constatação de que vivemos um problema grave de segurança pública, mas arma não é a solução. Não cabe ao cidadão garantir a segurança das pessoas

Deixe uma resposta