Profissionais da saúde concluem curso de Libras na Maternidade Alta Complexidade do Maranhão.

A Secretaria de Estado da Saúde-SES, em parceria com a Escola Técnica do   SUS (ET-SUS), concluiu nessa terça-feira (13), na Maternidade Alta Complexidade do Maranhão, as aulas da primeira  turma de 2018 do Curso de Língua Brasileira de Sinais (Libras), oferecido aos servidores da  área de saúde das Maternidades Benedito Leite, Marly Sarney e Nossa Senhora da Penha. O curso faz parte do Projeto “Saúde em Libras”, lançado no dia  seis(6) de Fevereiro pelo Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado de Saúde-(SES). Nessa primeira etapa trinta servidores  fizeram o curso que teve duração de 40 horas. O objetivo é facilitar a comunicação dos servidores Públicos Estaduais com as pessoas   surdas, proporcionando um atendimento humanizado e de qualidade ao cidadão.

Com um conteúdo programático direcionado aos serviços oferecidos nas referidas maternidades, foram apresentados aos profissionais desde os Parâmetros das Libras, o alfabeto datilológico, envolvendo também os vários sinais de saúde que poderão ser utilizados no dia a dia caso haja necessidade de atendimentos a pacientes surdos (as).

                A experiência vivida pelos cursistas  foi singular, já que o desenvolvimento do curso foi feito por dois profissionais. Um regente, que teve a prioridade da condução da aula e é “nativo da língua”, que é o caso do professor Thiago Muniz, acompanhado da professora e intérprete de libras Lourdes Correia que auxiliou na mediação da comunicação e aprendizado.

 As atividades transcorreram de forma participativa e satisfatória, tanto para os cursistas como para os professores, ambos atingiram as metas conforme planejadas pelos organizadores do Projeto “Saúde em Libras”

“Faz parte do nosso planejamento, da determinação do Governador Flávio Dino e do nosso Secretário de Saúde Carlos Lula, ambos sensíveis às pessoas com deficiência, preparar o maior número possíveis de servidores para atuarem com eficiência no atendimento inclusivo, envolvendo não só a Libras, mas outros tipos de deficiências, lembrando que por determinação do Governo do Estado, manter parcerias com todos os gestores municipais para que esse projeto chegue em todas as UBS do Maranhão”.Comentou a fisioterapeuta e responsável pela organização das  turmas Doutora Nelbe

“Esse curso fez com que todos nós nos sentíssemos mais importantes, não imaginávamos que um dia teríamos essa oportunidade de aprender o que antes parecia tão complexo. Nosso sacrifício foi por uma causa justa, e o pouco que aprendemos nos possibilitará uma melhor comunicação com os surdos que precisarem de atendimento, coisa que antes parecia impossível”.Destacou Lúcia

 

 “Apesar do curso ter sido apenas de 40 horas,encerro essa primeira etapa com minha alto estima aguçada e com o desejo de querer mais, vou sim me empenhar para continuar por conta própria avançando nesse conhecimento, pois sei como é importante aprender se comunicar com surdos, pois os mesmos se sentem mais cidadãos quando encontram alguém para socializar com eles”Relatou a Assistente Social Marilda Maciel.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, área interna

Lúcia demonstra felicidade em aprender libras

 

A imagem pode conter: 4 pessoas, incluindo Lurdes Nascimento, pessoas sorrindo, pessoas em pé, sapatos e área interna

A imagem pode conter: 12 pessoas, incluindo Lurdes Nascimento, pessoas sorrindo, pessoas em pé

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e área interna

A imagem pode conter: 4 pessoas, incluindo Lurdes Nascimento, pessoas sorrindo, pessoas sentadas

 

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e área interna

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé, sapatos e área interna

A imagem pode conter: 9 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e sapatos

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *