Todos nós temos emoções. Todos nós temos oscilações de emoções. Num determinado dia, estamos bem, o outro não tão bem. Isso pode funcionar dentro de um círculo de normalidade.

Porém, quando as oscilações tornam-se extremas, ou seja, você pode sentir-se muito bem ao ponto de perder o sono por isso e, ao mesmo tempo, ou no dia seguinte, sem razão aparente, você entra em um estado de profunda depressão, chegando, até mesmo, desejar não viver mais, é nessa condição que poderá ser diagnosticado, por meio dessas bruscas oscilações de humor, um possível  quadro de transtorno bipolar.

O que é transtorno bipolar?

O transtorno bipolar (TBP) é uma condição psiquiátrica relativamente frequente, com prevalência na população entre 1% e 2%. É caracterizado por episódios de alteração do humor de difícil controle (mania).

Os sintomas podem aparecer em qualquer idade, sendo mais comum o surgimento entre o início da segunda e meio da terceira década de vida. As causas da doença ainda não são conhecidas, mas muitos estudos apontam para a existência de disfunções complexas dos neurotransmissores.

A forma clássica da doença, que envolve episódios de mania e depressão, é chamada de Distúrbio Bipolar I. Algumas pessoas, no entanto, nunca desenvolvem mania severa, ao invés experimentam episódios moderados de hipomania (humor elevado) que são alterados com sintomas depressivos, esta forma da doença é chamada de Distúrbio Bipolar II. Algumas pessoas apresentam múltiplos episódios em uma semana ou em um mesmo dia. Este ciclo rápido tende a se desenvolver quando a doença está adiantada e é mais comum em mulheres do que em homens.

Os sintomas do transtorno bipolar (mania) podem variar de pessoa para pessoa.

Os ciclos de entradas e saídas das manias são únicos para cada pessoa. Para alguns, os pontos altos de humor nunca se tornarão extremos e são notados apenas pelos membros da família.

Para outros, a mania é aparente, ou seja, pode ser percebida por todos.

Os sinais e sintomas de mania (ou episódios maníacos) incluem:

Ø  Aumento de energia na produtividade e não necessidade de descanso.

Ø  Extrema irritabilidade.

Ø  Pensamentos extremamente rápidos e falar muito.

Ø  Distração – não consegue se concentrar.

Ø  Pouca necessidade de dormir.

Ø  Pensamentos não realísticos sobre habilidades e poder.

Ø  Julgamento pobre.

Ø  Gastar compulsivamente.

Ø  Longo período de comportamento diferente do habitual.

Ø  Aumento na atividade sexual.

Ø  Abuso de drogas, particularmente cocaína, álcool, e medicamentos para dormir.

Ø  Comportamento: provocativo, intrusivo e agressivo.

Ø  Negação de que algo esteja errado.

Os sinais e sintomas de depressão (ou episódio depressivos) incluem:

Ø  Sentimentos de tristeza ou pessimismo.

Ø  Tristeza, ansiedade ou sensação de vazio.

Ø  Sentimentos de culpa, falta de esperança e falta de confiança no valor de si mesmo.

Ø  Perda de interesse por atividades ou prazeres de que gostava, incluindo sexo.

Ø  Diminuição de energia, sentimentos de fatiga ou estar devagar.

Ø  Dificuldade de concentração, de lembrar e tomar decisões.

Ø  Agitação e irritabilidade.

Ø  Dormir demais ou não conseguir dormir.

Ø  Mudança no apetite e/ou aumento ou perda de peso.

Ø  Dor crônica ou outro sintoma persistente não causado por doenças físicas ou acidentes.

Ø  Pensamentos de morte, suicídio ou tentativas de suicídio.

O que a Bíblia fala sobre a mania (TBP)?

Devemos considerar que as Escrituras tem autoridade nas nossas vidas e, portanto, Deus tem autoridade nas nossas vidas (2 Timóteo 3.16).

A Bíblia nos dá sabedoria para nos guiar em todas as situações. Mesmo em tudo aquilo que a vida nos oferece – saúde, pobreza, inaptidão médica, diagnóstico psiquiátrico – a sabedoria da Bíblia é sempre rica e relevante para nós.

Com respeito a mania, a Bíblia nos diz que mania não pode fazer-nos pecar. Mania não pode nos conduzir a fazer coisas que a Escritura proíbe (por exemplo: adultério), e não pode nos conduzir a fazer coisas que a Escritura prescreve (por exemplo: amar o próximo). Mania pode criar um mundo de tentações Por exemplo, a mania pode levar a pessoa confiar em seu julgamento intuitivo ao invés de coloca-la em uma condição de réu. Ela, a mania, ainda pode levar a pessoa a confiar em seus próprios “méritos” ao invés de reconhecer suas limitações e ou imperfeições. Dessa forma, a mania não está levando a pessoa a fazer algo moralmente errado, mas está conduzindo o indivíduo em uma situação perigosa, introduzindo-o num mundo de tentações.

Pare e pense

O entendimento popular da mania é que ela é um fenômeno médico. Ela é o resultado de um desequilíbrio químico no cérebro e o tratamento é a reposição das funções cerebrais com medicação apropriada.

As teorias psiquiátricas tendem a ver o ser humano apenas numa condição física. As Escrituras, no entanto, vêm o homem em duas condições (física e espiritual). Fisicamente nós consistimos de cérebro, ossos, músculos e um maravilhoso conjunto bioquímico. Espiritualmente, nós somos criados a imagem de Deus. Nós podemos conhecê-lO e segui-lO. Nós sabemos a diferença entre o certo e o errado, e somos responsáveis por nossas decisões morais. Problemas no cérebro não podem apagar essas características espirituais do homem natural.

Portanto, quando a Palavra de Deus nos manda fazer algo como amá-lO e ouvi-lO, ela fala para todos nós. Se aqueles com desequilíbrio químico fossem isentos, nós poderíamos ser isentos também, porque ninguém pode afirmar que temos uma perfeita função cerebral, pois todos  nós, também, sofremos de alguma forma  de oscilação de sentimentos.

Estratégias Práticas de Mudança

O que nós precisamos é da graça –a ajuda de Deus para nós. Nós sempre precisamos da graça, mas nós precisamos especialmente dela quando preferimos viver sem as restrições e independente da autoridade divina. A surpreendente característica da graça é o favor de Deus sobre nós, e Ele livremente nos dá. A única exigência para receber a graça é que devemos crer que não somos merecedores dela.

Sobre o que foi abordado, fica aqui algumas sugestões de como a mania poderá ser tratada, segundo a prescrição bíblica:

1) Reconhecer e admitir sua necessidade da ajuda de Deus(1 Coríntios 10.13)

2) Distinguir os problemas físicos dos problemas espirituais.

        Algumas questões que podem ajudá-lo nessa tarefa:

o   Você considera os outros mais importantes do que você? –(Filipenses 2.3)

  • Você é rápido para ouvir, tardio para falar e tardio para se irar? (Tiago 1.19)
  • Você busca conselho de outras pessoas para as suas decisões? (Provérbios 12.15)
  • Você busca a Deus naquilo que você faz? (Provérbios 3.5-6)

3) Confissão de erros passados – 1 João 1.9

4) Buscar viver sabiamente – Provérbios 1.7

     Como?

o   Busque conselhos – Provérbios 11.14; 12.15; 19.20

o   Ouça – Tiago 1.19

o   Ande humildemente com o Senhor – Mateus 5.3; Tiago 4.6

5) Busque ajuda médica

A maioria das pessoas que passam pela extrema mania, se consulta com psicanalistas ou profissionais qualificados da área da psiquiatria sobre o uso de medicamentos. Existem novos medicamentos que surgem regularmente. A maioria deles são uma forma de Lithium ou medicações que também tem sido usado no controle de convulsões.

Nesse caso, poderia se tentar a medicação? Tipicamente, não se tem nada a perder e nada a ganhar. Na pior das hipóteses, teremos um efeito indesejável ou colateral, ou então, a medicação não terá efeito. Na melhor das hipóteses, teremos uma menor incidência aos ciclos de humor ou uma maior incidência de pontos altos no humor.

6) Em que você deve esperar?

“Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes.” (Tiago 1.2-4)

Baseado no livro: WELCH, Edward T.,Bipolar Disorder, Understanding and Help for Extreme Mood Swings, CCEF, 2010

3 COMENTÁRIOS

  1. Texto ridículo. Dizer que a mania só causa tentações e não leva a pessoa a fazer nada moralmente errado, falando como se a pessoa estivesse totalmente consciente de seus atos?
    Você já se relacionou com alguém com esquizofrenia? Você vai dizer que essa pessoa tem as mesmas condições de “ouvir a Deus e amá-lo” que pessoas que não possuem doenças psiquiátricas?
    Você sabe o que é uma psicose? Não fale do que você não sabe!
    É esse tipo de pensamento preconceituoso e BURRO (porque se baseia em puro achismo) que faz da igreja um péssimo ambiente de julgamento constante e caridade zero. Cresça.

  2. BOA MATERIA PROFESSOR.
    Como fica para algumas pessoas fanaticas, que insistem em crer que pode ser curada da bipolaridade e vem sofrendo??

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui