Aconteceu o que era esperado: Junta Governativa do SINFUSP-São Luís apura irregularidades na entidade

A Junta Governativa do Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos de São Luís – SINFUSP-SL, implantada em dezembro de 2019, está enfrentando muitas dificuldades para gerir a entidade uma vez que a gestão anterior não entregou sequer os documentos oficiais do sindicato e cada dia que passa vai encontrando mais irregularidades.

Documentos avaliados pela Junta sugerem claramente indícios de anormalidade na prestação de contas na gestão de Francisco do Vale, ex- presidente da entidade.

Como forma de dificultar a gestão da Junta, o grupo de Francisco do Vale extraviou todos os documentos relativos à contratos, processos, compras de insumos. Até mesmo o livro de Atas não foi entregue à Junta Governativa.

Após busca no cartório foi possível localizar uma única Ata de prestação de contas do período de dezembro de 2015 a novembro de 2018. Pelo Estatuto da entidade isso já seria uma grande irregularidade, uma vez que nele há exigência de prestação de contas anuais.

A coisa fica ainda pior quando analisando a folha de presença, observou-se que foi aproveitada para a assembleia de prestação de contas a lista de acesso à festa de confraternização dos servidores e seus familiares realizada no mesmo dia e local da Assembleia, caracterizando claramente uma fraude.

O problema é tão grande que na lista de acesso, além dos filiados que não sabiam sequer que haveria a apreciação das contas, consta a presença de crianças e convidados para confraternização de fim de ano.

Ao saberem que foram usados pelos componentes da antiga direção, muitos servidores estão indignados com a situação e pedem que sejam tomadas as medidas cabíveis. O Blog conversou com a servidora Camila Ramos que confirmou ter assinado a lista apenas para ter direito às pulseiras que dariam acesso a ela e o marido à festa de confraternização de fim de ano dos servidores.

Me sinto enganada, pois quando assinei a lista o fiz somente para receber as pulseiras para que eu e meu esposo pudéssemos ter acesso à festa de confraternização. Não participei de qualquer assembleia de prestação de contas”, afirmou Camila.

Uma outra servidora, lotada na SMTT, revelou que chegou por volta das 14 horas e só assinou a lista para receber a pulseira de acesso e ter direito a uma senha para sorteio de brindes, não tendo participado de assembleia alguma.

Com essa descoberta a presidente da Junta Governativa, Sandra Cruz procurou a polícia e espera que estas graves denúncias sejam apuradas o mais rápido possível. O boletim foi registrado na delegacia do São Francisco no dia 20 de janeiro sob o n°20.392/2020.

Quando tivemos acesso à Ata e à lista de presença ficamos espantados com essa fraude grosseira. Não podemos aceitar que pessoas sem escrúpulos e sem qualquer compromisso com os trabalhadores joguem o nome do sindicato na lama. Por isso já encaminhamos o caso à polícia e esperamos que os envolvidos sejam punidos exemplarmente”, disse a presidente.

A gestão do Francisco do Vale já enfrenta outra investigação na polícia sobre o paradeiro dos documentos da entidade, uma vez que ao perder a eleição para a junta governativa a direção anterior simplesmente sumiu com todos os documentos da entidade, inclusive as cópias de processos dos filiados.

Deixe uma resposta