Apesar de concessões, greve dos caminhoneiros continua

Depois de o governo do presidente Michel Temer (MDB) ceder à pauta dos caminhoneiros em greve e reduzir em 0,46 centavos por litro o preço do óleo diesel, entre outras medidas, o oitavo dia de paralisação da categoria terminou sem que a mobilização em rodovias do país tenha sido completamente encerrada. Com a persistência da greve, que manteve 44% dos 1.283 pontos inicialmente obstruídos, a policia rodoviária federal vai prender lideres do movimento que insistam para que os caminhoneiros permaneçam parados. A corporação conta com agentes infiltrados entre os manifestantes.

o Presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, declarou em entrevista coletiva em Brasília que caminhoneiros que querem voltar ao trabalho  estão sendo ameaçado “de forma violenta por forças ocultas”, que impedem o fim da greve. “São pessoas que querem derrubar o governo”, afirmou Fonseca. Segundo o presidente da Abcam, cerca de 30% dos caminhoneiros autônomos ainda precisam ser desmobilizados em todo o país, o equivalente a 250.000 veículos.

Acompanhe as últimas notícias sobre a expectativa do fim da greve dos caminhoneiros, a falta de gasolina e demais combustíveis:

– Em São Paulo, metrô e trens operarão com horário estendido, das 4h à 1h, na terça e na quarta-feira. “Desde a última quinta-feira (24), a CPTM e o Metrô já vêm operando com 100% da frota de trens inclusive nos horários de menor fluxo, o entre picos, para reforço no transporte público na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) em função da redução dos ônibus em circulação por falta de combustível”.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *