624 AC item

Tales
Tales de Mileto (624? a.C. – 546? a.C.) é considerado por muitos como o primeiro filósofo na tradição Grega, o “pai do pensamento científico”. Alguns historiadores, com base em eventos datados pelas fontes, estimam que Tales viveu até os 90 anos. De acordo com Heródoto, Tales foi previu um eclipse solar que, sabemos por métodos modernos, ocorreu em maio de 585 a.C.
620 AC item

Anaximandro
Anaximandro de Mileto (609? a.C. – 546? a.C.) foi discípulo de Tales. Geógrafo, astrônomo, matemático e político. A Anaximandro é atribuído um livro intitulado “Sobre a Natureza”, que, infelizmente, se perdeu.
590 AC item

Anaxímenes
Anaxímenes de Mileto (585 a.C. – 525 a.C.) foi contemporâneo mais jovem de Anaximandro, podendo ser seu amigo ou discípulo. Dedicou-se especialmente à meteorologia. Foi o primeiro a afirmar que a luz da Lua é proveniente do Sol.
item

Xenófanes
Xenófanes de Cólofon (580? a.C. – 460 a.C.) foi um filósofo grego, poeta e crítico social e religioso. Do pensamento de Xenófanes sobressaem três aspectos principais: o combate acirrado contra a visão antropomórfica dos deuses, a sátira mordaz contra a moralidade das divindades gregas e a crítica contundente às limitações não admitidas do conhecimento humano. Segundo a tradição, Xenófanes teria sido mestre de Parmênides de Eléia. Escreveu unicamente em versos em oposição aos filósofos jônios como Tales de Mileto, Anaximandro de Mileto e Anaxímenes de Mileto.
580 AC item

Pitágoras
Pitágoras de Samos (570? a.C. – 495 a.C.) foi um importante filósofo jônico e fundador de uma escola filosófica com nuances místicas. Segundo algumas referências tardias a irmandade criada por Pitágoras em Crotona reunia cerca de trezentos jovens que viviam separadamente dos outros cidadãos e mantinham os bens em comum. Tudo o que era ensinado tinha de ser mantido em segredo, e nada se revelava aos de fora sob pena de exclusão.
550 AC item

Heráclito
Heráclito de Éfeso (540-476 a.C.) era conhecido como “o obscuro”. Afirmava que todas as coisas estão em movimento como um fluxo perpétuo (devir). O escoamento contínuo dos seres em mudança perpétua, e que esse se processa através de contrários. Tudo flui e nada fica como é. Coisa alguma é estável. Tudo segue seu curso. Afirmou: “Nunca nos banhamos vezes no mesmo rio, pois na segunda vez não somos os mesmos, e também o rio mudou.”
530 AC item

Parmênides
Parmênides de Eléia (cerca de 530 a.C. – 460 a.C.) foi um dos mais importantes filósofos pré-socrático. Alguns autores o colocam como discípulo de Xenófanes e mestre de Zenão. Considerava o movimento e a mudança como uma ilusão dos sentidos. Era um opositor de Heráclito.
510 AC item

Anaxágoras
Filósofo grego da escola jônica, nascido em Clazômenas, na Jônia, em 500 a.C. Viveu longos 72 anos e foi professor de Péricles.
500 AC item

Empédocles
Empédocles (490 a.C – 430 a.C.) nasceu na cidade de Agrigentum, uma colônia grega na Sicília. É conhecido como por sua teoria cosmogônica dos quatro elementos.
item

Simplício
Simplício (490? a.C. – 560? a.C.), nativo da Cilícia, foi um dos últimos filósofos neoplatônico. Não foi um pensador original, mas seus textos são extremantes valiosos para o estudo da filosofia Grega, por conterem fragmentos e comentários sobre outros filósofos, como Aristóteles e Euclides.
480 AC item

Leucipo de Mileto
Não se sabe muito bem quando Leucipo nasceu. É provável que ele também fosse de Mileto, embora algumas fontes digam que ele nasceu em Eléia, enquanto outras dizem que nasceu em Abdera, Trácia, local de nascimento de Demócrito. O período de maior atividade de Leucipo está compreendido entre 450 e 420 a.C. e sabe-se que foi pupilo de Zenão. Observa-se que essas datas colocam o período referido após o nascimento de Sócrates (470 a.C. – 399 a.C.) e Demócrito como contemporâneo deste. Leucipo e Demócrito são considerados os últimos grandes filósofos pré-socráticos.
470 AC item

Demócrito
Demócrito de Abdera (cerca de 460 a.C. – 370 a.C.) é um contemporâneo de Sócrates. Foi discípulo de Leucipo e seu sucessor na escola de Abdera. A ele é atribuído o fato de ter realizado muitas viagens e de ter sido um dos escritores mais fecundos da Antigüidade.É impossível fazer uma segura distinção entre suas obras e as de Leucipo ou mesmo de outros discípulos da escola. Entretanto, é considerado o sistematizador da teoria atomística. De acordo com Demócrito, a natureza não tem uma razão especial de ser, ou motivos secretos que justifiquem certos fenômenos ou comportamentos. Tudo é basicamente redutível a átomos movendo-se no vazio. Uma vez que compreendamos esse simples fato Demócrito garante que entraremos em um estado de graça caracterizado por uma constante alegria de ser. Por essas idéias, Demócrito ficou conhecido como “o filósofo sorridente”.
390 AC item

Aristóteles
Aristóteles de Estagira (384 a.C. – 322 a.C.) é considerado, juntamente com Platão e Sócrates, um dos mais influentes filósofos da Grécia antiga. Foi aluno de Platão e professor de Alexandre o Grande. Escreveu sobre a física, metafísica, biologia, zoologia, lógica, retórica, política, governo e ética.
380 AC item

Teofrastos
Teofrasto de Eressos (em Lesbos) (372 a.C. – 287 a.C.) sucessor de Aristóteles. O seu nome original era Tirtamo, mas ficou conhecido pela alcunha de ”Teofrasto” que lhe foi posta por Aristóteles, segundo se diz, para indicar as suas qualidades de orador.
350 AC item

Epicuro
Epicuro de Samos (341 a.C – 271 a.C) era filho de pais atenienses estabelecidos na ilha de Samos (na Ásia menor) como colonos. Foi aluno de um discípulo de Demócrito e em 306 a.C. retorna a Atenas. Funda sua escola, aí permanecendo até sua morte. A solidariedade e a amizade que eram, sobretudo, os elementos fundamentais do sistema ético de Epicuro, constituem, portanto o laço ideal que unia os discípulos à escola. Sua Escola não era aberta somente a personagens ilustres, ela acolhia todo mundo, inclusive mulheres e escravos, o que a diferenciava do Liceu de Aristóteles e da Academia de Platão. Esta última era dirigida a uma elite, no seio da qual se pretendia recrutar e formar um perfeito governante de um estado ideal.
100 AC item

Lucrécio
Titus Lucretius Carus, nascido em Roma (96? a.C. – 55? a.C.), foi admirador da doutrina de Epicuro. Conhece-se muito pouco sobre a vida de Lucrecio. Seu único trabalho reconhecido foi o poema épico e filosófico De Rerum Natura (Sobre a natureza das Coisas).
1490 item

Paracelso
(Suíça, 1493 – Áustria, 1541)
Seu nome verdadeiro era Aureolus Theofrastus Bombastius von Hohenheim. Era médico e foi um dos alquimistas mais importantes. Estudou os fundamentos da medicina na Basiléia e em Ferrara na Itália. Contestou o sistema de Galeno, a maior autoridade em medicina na época e a filosofia aristotélica. No lugar dos quatro elementos aristotélicos colocou a tria prima : enxofre, mercúrio e sal. O princípio merc'[urio seria responsável pelo brilho metálico e pela fluidez, o principio enxofre pela combustibilidade e o princípio sal pela estabilidade. Para ele, a doença era uma desarmonia entre o corpo e o espírito e a ingestão de substâncias externas poderia estabelecer o equilíbrio novamente. Ele instituiu o uso de poções com esse fim. Foi pioneiro no uso de substâncias inorgânicas e no uso do ópio. Introduziu tinturas e extratos alcoólicos.
1560 item

Galileu Galilei
(Pisa, 1564 – Florença, 1642)
Sua família não tinha muitos recursos, porém descendia de nobres florentinos. Seus primeiros estudos foram feitos com o pai e posteriormente no mosteiro de Santa Maria de Vallombrosa. Em 1761, ingressou na universidade para cursar medicina, entretanto as aulas de matemática e o estudo das artes mecânicas o atraíam mais que a medicina. No ano de 1589, Galileu realizou inúmeras experiências sobre a queda dos corpos. Aristóteles pensava que quanto mais pesado fosse o elemento mais rápido ele cairia e Galileu discordava de Aristóteles e realizou experiências até provar que Aristóteles estava errado. Galileu expôs suas idéias principalmente em dois livros: Discurso e demonstração matemática sobre as duas novas ciências (1634) e Diálogos sobre os dois principais sistemas do universo (1632). No primeiro livro trata de questões relativas ao movimento dos corpos e à resistência dos materiais, propondo um novo modelo para a queda dos corpos e no segundo aborda problemas relativos à mecânica celeste. Em 1609, Galileu observou a superfície da lua e também que a via láctea era constituída por estrelas utilizando um telescópio por ele construído. Descobriu as manchas solares e também observou os satélites de Júpiter e as fases de Vênus. Todas essas descobertas foram comunicadas ao mundo no livro Mensageiro das estrelas em 1610. Após a exposição de suas idéias, Galileu foi julgado pela inquisição e para não ser queimado na fogueira com herege, renegou suas idéias sobre o heliocentrismo publicamente perante o papa, no ano de 1633. Morreu cego e condenado pela igreja católica ao exílio. Seus livros foram publicados em países onde o protestantismo era dominante como Leiden (Holanda). Só foi absolvido pala igreja católica no ano de 1999.
1590 item

Pierre Gassendi
(Champtercier, 1592 – Paris, 1655)
Nasceu em uma comunidade francesa a 22 de janeiro de 1592 e morreu em 24 de outubro de 1655. Era astrônomo e foi contemporâneo de Galileu com quem mantinha correspondência. Estudou o movimento dos cometas, a topografia, os eclipses da Lua e a evolução das manchas solares. Era também doutor em teologia, ordenado padre em 1616 e professor de filosofia em 1617. Foi nomeado professor de matemática do Colégio real em 1643. Foi o primeiro a descrever o fenômeno que ele denominou de aurora boreal, observado em 12 de setembro de 1621.
1620 item

Robert Boyle
(Lismore Castle 1627 – Londres, 1691)
Nasceu no castelo de Lismore, na Irlanda, a 25 de Janeiro de 1627. Filho de família abastada, seu pai era dono de terras e membro influente da corte. Teve uma educação primorosa. Aprendeu ainda criança o latim e com oito anos foi mandado para Eton, escola tradicional, freqüentada pelos filhos das famílias inglesas mais abastadas. Lá permaneceu por três anos e em 1638 partiu em viagem pela Europa com um tutor francês. Seu roteiro incluía Florença, onde presenciou os últimos anos da vida de Galileu e a França, onde tomou contato com a obra de Gassendi e Descartes. Ao retornar a Inglaterra dedicou-se exclusivamente a Ciência. A partir de 1644, passou a freqüentar reuniões de um grupo interessado em desenvolver a chamada filosofia experimental. Em 1660, publicou sua primeira obra científica – Novas Experiências Físico-Mecânicas, Concernentes à Elasticidade do Ar e seus Efeitos , onde ele relatou uma série de estudos e observações a partir dos trabalhos de Galileu, Pascal e Torricelli sobre o peso do ar e o vácuo. Essa obra gerou grande celeuma na época. Posteriormente, em 1661, Boyle publicou seu livro mais importante: O Químico Cético . Nesse livro é notável a influência de Galileu no que diz respeito à forma. Boyle serviu-se de três personagens – um aristotélico, um defensor da química médica de Paracelso e um químico cético – ele próprio. Na forma de um diálogo, a obra foi concluída com a defesa da teoria atomista de Gassendi e o em prego de um método de raciocínio como o divulgado por Descartes, baseado em “idéias claras e distintas”. Boyle se preocupou com o desenvolvimento teórico da Química tomando uma posição diferente em relação à dos pesquisadores do continente que se destacavam descobrindo novas substâncias e eram na maioria das vezes farmacêuticos. Um dos seus maiores méritos foi o de trazer para a Química a visão mecânica da natureza. De acordo com as suas próprias palavras: “… eu procuro considerar a química não com um médico ou alquimista, mas com um filósofo”. As idéias de Boyle, no campo da Química, despertaram o interesse de Newton, que dedicou uma série de Questões sobre o assunto na parte final do seu Optikis .
1640 item

Isaac Newton
(Woolsthorpe, 1642 – Londres, 1727)
Nasceu órfão de pai, descendente de uma família de pequenos proprietários rurais. Aos dezoito anos foi enviado para a universidade de Cambridge e em 1665 completou seus estudos nessa universidade. Escreveu duas grandes obras: Philosophiae naturalis principia mathematica em 1687 e Opticks , em 1704. Nos Principia , Newton estudou o movimento dos corpos celestes e terrestres com abordagem matemática. Nele, Newton apresenta as bases da mecânica clássica e no volume 3 enuncia a Lei da Gravitação Universal. Já no Optikis , Newton tratou da natureza da luz e dos fenômenos ópticos, privilegiando a abordagem experimental. Newton teve vários opositores importantes, como por exemplo, Leibniz que disputou com Newton por vários anos a honra da criação do cálculo infinitesimal. Leibniz também rejeitou a Lei da Gravitação Universal, por não admitir a “ação à distância”, isto é, a atração entre dois corpos sem que houvesse um meio material para a transmissão da força. Posteriormente, na segunda edição inglesa do Optikis datada de 1717, Newton surpreende ao introduzir o “éter”, substância invisível, homogênea e rarefeita que preencheria todo o espaço para propor uma explicação para a gravidade e outros fenômenos. Foi o primeiro a observar o espectro visível obtido pela decomposição da luz ao passar por um prisma triangular transparente.Formulou sua teoria corpuscular da luz em 1675 que se opunha a teoria ondulatória de Huygens. Newton também se dedicou ao estudo da alquimia e da religião.
1740 item

Lavoisier
A biografia de Lavoisier pode ser encontrada no artigo Lavoisier: u ma revolução na química de Lúcia Tosi publicado na revista Química Nova 12(1), 1989 que pode ser encontrado no seguinte endereço quimicanova.sbq.org.br

Claude Louis Berthollet
(Talloires, 1748 – Arcueil, 1822)
Era de família francesa que havia emigrado para Savóia, uma região da Itália. Berthollet se graduou em medicina pela Universidade de Turin em 1768. Em 1772 foi para Paris, onde estudou química com Macquer e Bucquet enquanto obtinha um segundo doutorado em medicina. E m 1784, na Manufatura Nacional de Gobelins, uma famosa fábrica de tapetes, d escobriu as propriedades descolorantes do cloro, desenvolvendo um procedimento para branquear telas utilizando uma solução de hipoclorito de sódio, tornando-se o inventor da “água de Javel”. Colaborou com Lavoisier, Fourcroy e Guyton de Morveau na publicação do Método de Nomenclatura química (1787), incorporando os princípios da nova química de Lavoisier. Berthollet viveu sob quatro diferentes regimes e durante sua vida acumulou cargos importantes. Dentre eles, durante o regime de Napoleão, em 1796, ele foi indicado juntamente com Gaspard Monge (criador da geometria descritiva) para acompanhar a comissão que trouxe grandes trabalhos da arte italiana para a França. Nesse período, ele desenvolveu um dos primeiros métodos químicos de restauração de pinturas. Dois anos mais tarde, Berthollet e Monge acompanharam Napoleão, como membros científicos da expedição ao Egito e lá permaneceram por dois anos. Em 1807, ele e Laplace fundaram a “Sociedade de Arcueil”, onde cientistas se reuniam regularmente para discutir problemas científicos. A sociedade publicou três volumes de seus procedimentos. Gay-Lussac fazia parte dessa sociedade e foi seu discípulo. Berthollet pretendia uma síntese dos princípios divergentes dos sistemas de Stahl e de Lavoisier, ao mesmo tempo incorporando a tradição da explicação dos fenômenos pela afinidade química. Em uma série de experimentos sobre a conversão de arsênio, fósforo e enxofre nos correspondentes óxidos (na época, eram denominados ácidos), Berthollet confirmou a conclusão de Lavoisier sobre o aumento de peso em todos os casos devido a incorporação do “ar vital”. Apesar de ter feito inicialmente várias críticas a teoria da combustão de Lavoisier, atacando-a justamente no seu ponto fraco – o calórico, posteriormente ele a adotou na tentativa de fazer uma síntese entre a visão tradicional e as novas descobertas de Lavoisier, rejeitando a teoria do flogístico. Publicou dois livros em 1803, o Recherche sur les lois des affinités chimiques e o Essai de statistique chimique . Nesse último definiu pela primeira vez o conceito de equilíbrio químico.
1750 item

Joseph Louis Proust
(Angers, 1754 – Angers, 1826)
Nasceu em Angers, uma cidade situada a sudoeste de Paris. Filho de um boticário tornou-se chefe de farmácia do hospital Salpêtrière em Paris em 1776. Seu primeiro trabalho sobre urina, alumen e ácido fosfórico foi publicado durante esse período no hospital. No final de 1778, Proust foi para a Espanha como professor de Química, onde permaneceu até 1780. Retornando a Paris, participou de um vôo em balão no dia 23 de junho de 1784 na presença do rei e da corte francesa. De volta a Espanha em 1786, ele primeiro lecionou em Madri, indo em 1788 para a Segóvia lecionar no Colégio Real de Artilharia. Em 1799, ele retornou a Madri para chefiar o laboratório químico de Carlos IV, recentemente instalado e oferecer cursos públicos de Química. Foi durante a sua estada em Segóvia que Proust começou a publicar seus artigos sobre as proporções definidas e durante a sua permanência em Madri que ocorreu a controvérsia com Berthollet. No final de 1806, Proust retornou a França e em 1820 ele assumiu a direção da farmácia do seu irmão Joachim, que se encontrava adoentado. Proust foi eleito para suceder Guyton de Morveau no Instituto de França em 1816 e tornou-se um cavalheiro da Legião de Honra em 1819.
1760 item

Jeremias Benjamin Richter
(Hirschberg, 1762 – Berlim, 1807)
Químico alemão nascido em Hirschberg, na Silésia, hoje Jelenia Gora, na Alemanha. Foi aluno de filosofia de Immanuel Kant. Doutorou-se em 1785 em Königsberg com uma dissertação sobre o uso de matemática na química. Trabalhou como funcionário mineiro em Breslau (1794-1800) e tornou-se assessor do departamento de minas e químico para a fábrica de porcelana real em Berlim (1800) onde permaneceu até sua morte. Determinou as proporções entre ácidos e bases para a formação de sais (1792). A Richter se deve o conceito de peso equivalente e a lei das proporções recíprocas. Suas conclusões foram publicadas em Anfangsgunden der Stochiometrie oder Messkunst chemischer Elemente (1792-1794) e em Gegenstnde in der Chemie (1792-1802). Introduziu o termo estequiometria em química e publicou mais duas obras: Elementos de Estequeometria (1794) e Novos objetos da química (1800).

John Dalton
(Eaglesfield, 1766 – Manchester, 1844)
Dalton nasceu em Eaglesfield, uma vila do norte da Inglaterra de tradição religiosa Quaker ou Sociedade dos Amigos (grupo religioso protestante). Teve uma educação formal simples e a religião teve forte influência na sua vida. Com quinze anos foi convidado juntamente com seu irmão mais velho a se tornar assistente em uma Escola de Kendal. Essa escola tinha sido construída e equipada pelos Quakers e sua biblioteca continha trabalhos de Newton, Boyle, entre outros. Em 1793, aceitou o convite para ser professor de matemática e filosofia natural no New College de Manchester. Pouco tempo depois passou a se manter apenas com aulas particulares de matemática, filosofia natural e química. Enquanto lecionava, completou seus trabalhos em teoria da expansão dos gases a pressão constante e construiu uma tabela de pesos atômicos, baseado na suposição de que a proporção com que dois elementos se combinam devia estar relacionada com o peso de seus átomos. Seus trabalhos que se relacionam com a teoria atômica foram a Lei das Pressões Parciais em 1801 e a primeira tabela de pesos atômicos em 1803, publicada em 1805. No ano de 1807 sua teoria atômica teve a primeira publicação por Thomas Thomson no livro Sistema de Química e em 1808, Dalton publicou a primeira parte da sua obra Novo Sistema de Filosofia Química , com seu próprio relato da Teoria atômica. As segunda e terceira partes vieram em 1810 e 1827, respectivamente. Nestes livros a teoria atômica ressurge com forte base empírica. Dalton morreu em Manchester, sendo sepultado com honras oficiais.

Lorenzo Romano Amedeo Carlo
Avogadro di Quaregna e Cerreto
(Turim,1776 – Turim, 1856)
Avogadro nasceu em Turim, Itália, em uma família nobre. Graduou-se em Leis Eclesiásticas aos 20 anos, mas dedicou-se ao estudo de física e matemática. Com 32 anos começou a ensinar em um Liceu em Vercelli e com a criação da Universidade de Turim em 6 de novembro de 1820, Avogadro assumiu a direção da primeira cátedra de Física Matemática na Itália. Mudanças políticas levaram à supressão dessa cadeira em 1821 e Avogadro perdeu o cargo em 1822. Em 1832, quando as cátedras suspensas foram reinstituídas, o cargo foi primeiramente dado a Cauchy e, em 1834, a Avogadro, que o manteve até 1850. Trabalhou com estatística, metrologia e pesos e medidas – foi o responsável pela introdução do sistema métrico em Piemonte, na Itália. Durante sua permanência em Vercelli Avogadro enviou para De Lamétherie’s Journal de Physique, de Chimie et d’Histoire naturelle um pequeno artigo onde constava a hipótese que hoje conhecemos como Lei de Avogadro: Essai d’une manière de déterminer les masses relatives des molecules élémentaires des corps, et les proportions selon lesquelles elles entrent dans ces combinaisons . A hipótese foi desenvolvida após Gay-Lussac ter publicado, em 1808, a sua Lei dos Volumes. Em homenagem às contribuições da teoria de Avogadro para o cálculo dos pesos atômicos, o número de partículas em um mol de matéria foi chamado de Número de Avogadro, apesar deste nunca ter calculado a constante. O físico austríaco Johann Josef Loschmidt, em 1865, usou a Teoria Cinética dos Gases para determinar o primeiro valor da Constante, que nos países de língua alemã é chamada de constante de Loschmidt. O nome de Avogadro também foi eternizado em uma cratera no hemisfério norte lunar.

Joseph Louis Gay-Lussac
(Saint-Léonard-de-Noblat,1778 – Paris,1850)
Nasceu em Saint-Léonard-de-Noblat, um departamento de Haute-Vienne. Estudou em casa até os 16 anos quando foi enviado à Paris para se preparar para a École Polytechnique na qual foi admitido três anos mais tarde. Em 1800, transferiu-se para École des Ponts et Chaussées , onde foi assistente de Louis Berthollet. Com o apoio de Fourcroy, retornou à École Polytechniqueonde, em 1809, tornou-se professor de química. Foi o primeiro titular da cátedra de Física na faculdade de ciências de Paris (Sorbonne), onde lecionou de 1808 a 1832 de oude se demitiu para ocupar a cadeira de química orgânica e química mineral do Museu Nacional de História Natural de 1833 a 1848. Em 1802, enunciou a lei de dilatação dos gases com o aumento da temperatura e pressão constante. Em 1808, formulou as leis volumétricas, lei que hoje tem seu nome. Em 1804, realizou uma investigação sobre a atmosfera terrestre com o físico Jean-Baptiste Biot em um balão de ar quente a mais de 6 km de altura. Identificou a composição fixa da atmosfera e a composição da água em conjunto com Alexander von Humboldt (1805) e participou da descoberta do elemento boro (1808). Foi eleito membro da Academia de Ciências, da qual foi presidente em 1822 e 1834.

Jöns Jacob Berzelius
(1779-1848)
Nasceu em 20 de agosto de 1779 em Väfversunda, no sudeste da Suécia. Contemporâneo de Gay Lussac e de Humphry Davy. Sua infância foi marcada pela perda do pai aos quatro anos de idade e alguns anos depois da mãe, ambos vítimas da tuberculose. Em 1793, foi mandado ao ginásio de Linköping, onde fez progressos, mas a escassez de recursos o obrigou a aceitar um emprego, só retornando ao ginásio em 1795. Em 1796, fez o exame para a universidade de Upsala, sendo admitido no curso de medicina. Concluiu seus estudos em maio de 1802, com um forte interesse pela Química. Seus primeiros estudos de Química incluíram a teoria da combustão e a nomenclatura Química de Lavoisier. Algum tempo depois, transferiu-se para Estocolmo e juntamente com Hisinger, um rico proprietário de minas e muito interessado em mineralogia, empreenderam investigações sobre a decomposição de substâncias pela ação da corrente elétrica. Dessa parceria surgiu em 1803, uma publicação com o título Experiências Ocupando-se de Reações da Pilha Voltaica sobre Sais e Algumas de suas Bases , no Gehlens Neues Journal der Chemie e a descoberta de um novo elemento químico, o cério. Durante todo esse período, Bezelius enfrentou sérias dificuldades financeiras. Sua situação só melhorou em 1807, quando ele foi indicado para o cargo de professor de medicina e farmácia da Escola de Cirurgia de Riddarholm, que foi transformada em 1810 no Instituto médico-cirúrgico Karolino. Foi justamente a partir de 1807 que Berzelius passou a se dedicar mais a Química. Tornou-se membro da Academia Sueca de Ciências em 1808 e seu presidente em 1810. Suas pesquisas eletroquímicas com Hisinger tornaram-se conhecidas após o destaque que as pesquisas sobre galvanismo de Humphry Davy tiveram na França. Aos trinta e um anos Berzelius se tornou exclusivamente químico, desistindo de praticar a medicina. Travou contato não só com cientistas franceses como com britânicos e alemães e alguns químicos famosos passaram pelo seu laboratório. Esse foi o caso de Wöhler e Mitscherlich. Dos seus experimentos em eletroquímica com Hisinger , Berzelius concluiu que o oxigênio era um constituinte essencial não só dos ácidos, como o próprio Lavoisier apontara, mas também das bases. A partir desses estudos ele desenvolveu sua teoria dualística da natureza dos sais. Berzelius tomou conhecimento da controvérsia Berthollet – Proust e da Teoria Atômica de Dalton, com também conhecia o trabalho de Richter. Dedicou-se a análise de um grande número de sais com o objetivo de verificar a Lei das Proporções Constantes. Seus resultados analíticos lhe permitiram determinar o peso atômico de vários elementos e a partir de 1819 ele pode verificar os pesos atômicos obtidos através da Lei de Dulong e Petit e posteriormente, também, a partir da Lei do Isomorfismo de Mitscherlich. Publicou tabelas revisadas de pesos atômicos em 1814, 1818, e 1828. Em 1811, ele fez sua primeira publicação, em francês, sobre um sistema lógico de símbolos para representar os elementos e nos próximos três anos, explicou suas idéias em alemão e inglês. A idéia introduzida por Berzelius não diz respeito somente ao uso de letras para representar o nome do elemento, mas ele também introduziu um novo conceito quantitativo com os seus símbolos. As fórmulas químicas representavam então, a proporção química dos elementos no composto, como no exemplo:

SO3

Berzelius ordenou os elementos em uma série decrescente de eletronegatividade, (termo que não tinha o significado atual) em função do pólo em que o elemento era liberado na eletrólise. Desse modo, o oxigênio era o mais eletronegativo enquanto o potássio, o mais eletropositivo. Foi Berzelius quem sugeriu os termos isomeria (1831) e alotropia (1840) para os fenômenos que nós conhecemos hoje com o mesmo nome. Dedicou-se posteriormente aos compostos orgânicos, porém sem o mesmo sucesso que teve com os inorgânicos. A tremenda influência que Berzelius exerceu sobre os químicos do seu tempo em vários países da Europa não se deveu somente a suas descobertas experimentais ou as sua interpretações teóricas, mas também ao seu grande volume de publicações que foram traduzidas em todas as línguas importantes da Europa e circularam por toda a parte no mundo químico.

https://extensao.cecierj.edu.br/material_didatico/cee1809/scripts/linhadotempo.html
LINHA DO TEMPO filosofia
http://www.filosofia.com.br/bio_popup.php?id=%2055

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui