Os Gregos eram politeístas, isto é, adoravam vários deuses, acreditando que esses deuses tinham forma humana, embora fossem mais belos e poderosos que os homens, imortais e possuidores de poderes mágicos.

Os Gregos eram politeístas, isto é, adoravam vários deuses, acreditando que esses deuses tinham forma humana, embora fossem mais belos e poderosos que os homens, imortais e possuidores de poderes mágicos.

Os deuses gregos revelavam também qualidades e defeitos semelhantes aos dos seres humanos: apaixonavam-se, sofriam, conheciam aventuras e desventuras e os Gregos falavam deles como se fossem pessoas: contavam a história da sua vida, as suas lutas, sentimentos…

O conjunto das histórias maravilhosas da vida dos deuses e heróis gregos chama-se mitologia.

      

Para os Gregos, os deuses eram descendentes da terra – Gaia – e do céu – Urano – e tinham grandes semelhanças com os homens.

O Monte Olimpo é o ponto mais alto de toda a Grécia, com uma altitude de 2 917m. Na antiga Grécia, foi considerado a casa dos deuses importantes. Segundo reza a história, a entrada para o Olimpo fazia-se através de um portão feito de nuvens, isto talvez se possa atribuir ao fato de o cume da montanha, devido à sua altitude, estar sempre coberto de nuvens.

Gregos

Romanos

Deuses – simbologia

Zeus Júpiter Pai dos deuses, filho de Cronos e de Reia. A esposa de Zeus foi sua irmã Hera. É designado também por Padre, Tonante e Jove. Era representado como homem forte e barbado, de aspecto majestoso, com um raio na mão sobre uma águia.
Afrodite Vénus Filha de Zeus e Dione. É a deusa do amor e da beleza. Hefesto recebeu-a como esposa, mas esta, incapaz de lhe ser fiel, procurou o amor de Ares,  de quem teve Eros. Amou também Hermes, Dioniso, Anquises (de quem teve Eneias) e Adonis.
Ares Marte Deus da guerra, presente em todos os combates. Era representado como um guerreiro completamente armado, acompanhado por um galo. Fiel apaixonado de Vênus.
Apolo Deus das Artes. O deus mais venerado depois de Zeus. Identifica-se com o Sol – daí ser chamado também Febo (brilhante) – e o ciclo das estações do ano..
Artemis Diana Filha de Zeus e da irmã de Apolo. Deusa da caça e da castidade é representada num coche, tirada por corças, armada de arco e flechas com setas e uma meia-lua sobre a cabeça.
Atena Minerva Deusa da Sabedoria e da guerra justa possuía uma disposição pacífica, representando a preponderância da razão e do espírito sobre o impulso irracional. Deusa protectora de Atenas e outras cidades da Ática. Acredita-se que ela era originalmente a deusa-serpente de Creta. Imagem guerreira, com capacete, lança, escudo e couraça.
Eolo Deus dos ventos
Poseídon Neptuno Deus dos mares era filho de Cronos, deus do tempo, e Reia, deusa da fertilidade e irmão de Zeus e Hades. É representado como um homem forte, de barbas brancas, com um tridente na mão e acompanhado de golfinhos e outros animais marinhos.
Hefestos Vulcano Deus do fogo. Patrono dos ferreiros e dos artesãos em geral, é responsável, segundo a lenda, pela difusão da arte de usar o fogo e da metalurgia. Era geralmente representado como um homem de meia-idade, barbado, vestido com uma túnica sem mangas e com um gorro sobre o cabelo desgrenhado.

Heróis Gregos

Além dos vários deuses, a quem adoravam e veneravam, existem ainda muitas histórias sobre heróis gregos que realizavam as mais destemidas façanhas e se embrenhavam nas mais empolgantes aventuras.

Aquiles

Era o guerreiro mais forte dos gregos. Filho de um homem (Peleu) e da deusa Tétis. Quando nasceu sua mãe mergulhou-o nas águas de um rio que protegiam todas as partes do seu corpo banhadas pelas águas. Mas como a mãe lhe pegou pelo calcanhar foi só esta parte do corpo que era vulnerável. Morreu no assalto a Troia, trespassado por uma flecha que se cravou no seu calcanhar.

Hércules

Herói grego muito forte enfrentou doze dificuldades, conhecidas pelos doze trabalhos de Hércules.

Jasão

Chefiou a expedição dos argonautas em busca do “velo de ouro” tendo enfrentado imensos perigos e aventuras.

Perseu

Filho de Zeus, casou com Andrômeda. Na sua viagem de regresso da Etiópia transformou os seus companheiros em pedra ao mostrar-lhes a cabeça da Górgona.

Édipo

Rei de Tebas decifrou o enigma da esfinge. Sem o saber matou o pai e casou com a própria mãe. Mais tarde, quando soube o que fizera, cegou-se a si próprio para não contemplar o horror que cometera.

Teseu

Venceu o Minotauro que era o monstro que existia no labirinto de Creta, com a ajuda de Ariadne.

Ulisses

…..

Animais e monstros mitológicas

Centauro

Metade homem, metade cavalo.

Ciclopes

Criaturas gigantes com um olho no meio da testa

Minotauro

Metade touro, metade homem guardava o labirinto de Creta

Pégaso

Cavalo alado

Lendas mitológicas

Ariadne

Dédalo construiu o labirinto de Creta, onde vivia o Minotauro (metade monstro metade homem).Exigia sacrifícios humanos cujas vítimas eram raparigas atenienses. Teseu entrou no labirinto com a ajuda do fio de Ariadne, tendo morto o Minotauro.

Narciso

Ao beber água de uma fonte viu a sua imagem refletida e apaixonou-se por si próprio. Não podendo satisfazer a sua paixão morreu de desgosto e o seu corpo transformou-se na flor que ficou com o seu nome.

Sísifo

Foi condenado pelos deuses a transportar uma pedra às costas para cima de um monte. Quando chegava lá acima a pedra escorregava-lhe dos ombros e rolava até ao sopé do monte. Sísifo tinha de  ir buscar outra vez. Estava condenado a fazer isto eternamente.

Tântalo

Foi condenado pelos deuses a ficar eternamente com fome e sede. Estava acorrentado a uma árvore e os frutos desciam até estar ao seu alcance, mas quando estendia as mãos para apanhá-los, os frutos fugiam. Do mesmo modo, o lugar onde estava ficava inundado de água e quando tentava beber a água escapava-se do seu alcance.

      

Para os Gregos, os deuses eram descendentes da terra – Gaia – e do céu – Urano – e tinham grandes semelhanças com os homens.

O Monte Olimpo é o ponto mais alto de toda a Grécia, com uma altitude de 2 917m. Na antiga Grécia, foi considerado a casa dos deuses importantes. Segundo reza a história, a entrada para o Olimpo fazia-se através de um portão feito de nuvens, isto talvez se possa atribuir ao fato de o cume da montanha, devido à sua altitude, estar sempre coberto de nuvens.

Gregos

Romanos

Deuses – simbologia

Zeus Júpiter Pai dos deuses, filho de Cronos e de Reia. A esposa de Zeus foi sua irmã Hera. É designado também por Padre, Tonante e Jove. Era representado como homem forte e barbado, de aspecto majestoso, com um raio na mão sobre uma águia.
Afrodite Vénus Filha de Zeus e Dione. É a deusa do amor e da beleza. Hefesto recebeu-a como esposa, mas esta, incapaz de lhe ser fiel, procurou o amor de Ares,  de quem teve Eros. Amou também Hermes, Dioniso, Anquises (de quem teve Eneias) e Adonis.
Ares Marte Deus da guerra, presente em todos os combates. Era representado como um guerreiro completamente armado, acompanhado por um galo. Fiel apaixonado de Vênus.
Apolo Deus das Artes. O deus mais venerado depois de Zeus. Identifica-se com o Sol – daí ser chamado também Febo (brilhante) – e o ciclo das estações do ano..
Artemis Diana Filha de Zeus e da irmã de Apolo. Deusa da caça e da castidade é representada num coche, tirada por corças, armada de arco e flechas com setas e uma meia-lua sobre a cabeça.
Atena Minerva Deusa da Sabedoria e da guerra justa possuía uma disposição pacífica, representando a preponderância da razão e do espírito sobre o impulso irracional. Deusa protectora de Atenas e outras cidades da Ática. Acredita-se que ela era originalmente a deusa-serpente de Creta. Imagem guerreira, com capacete, lança, escudo e couraça.
Eolo Deus dos ventos
Poseídon Neptuno Deus dos mares era filho de Cronos, deus do tempo, e Reia, deusa da fertilidade e irmão de Zeus e Hades. É representado como um homem forte, de barbas brancas, com um tridente na mão e acompanhado de golfinhos e outros animais marinhos.
Hefestos Vulcano Deus do fogo. Patrono dos ferreiros e dos artesãos em geral, é responsável, segundo a lenda, pela difusão da arte de usar o fogo e da metalurgia. Era geralmente representado como um homem de meia-idade, barbado, vestido com uma túnica sem mangas e com um gorro sobre o cabelo desgrenhado.

Heróis Gregos

Além dos vários deuses, a quem adoravam e veneravam, existem ainda muitas histórias sobre heróis gregos que realizavam as mais destemidas façanhas e se embrenhavam nas mais empolgantes aventuras.

Aquiles

Era o guerreiro mais forte dos gregos. Filho de um homem (Peleu) e da deusa Tétis. Quando nasceu sua mãe mergulhou-o nas águas de um rio que protegiam todas as partes do seu corpo banhadas pelas águas. Mas como a mãe lhe pegou pelo calcanhar foi só esta parte do corpo que era vulnerável. Morreu no assalto a Troia, trespassado por uma flecha que se cravou no seu calcanhar.

Hércules

Herói grego muito forte enfrentou doze dificuldades, conhecidas pelos doze trabalhos de Hércules.

Jasão

Chefiou a expedição dos argonautas em busca do “velo de ouro” tendo enfrentado imensos perigos e aventuras.

Perseu

Filho de Zeus, casou com Andrômeda. Na sua viagem de regresso da Etiópia transformou os seus companheiros em pedra ao mostrar-lhes a cabeça da Górgona.

Édipo

Rei de Tebas decifrou o enigma da esfinge. Sem o saber matou o pai e casou com a própria mãe. Mais tarde, quando soube o que fizera, cegou-se a si próprio para não contemplar o horror que cometera.

Teseu

Venceu o Minotauro que era o monstro que existia no labirinto de Creta, com a ajuda de Ariadne.

Ulisses

…..

Animais e monstros mitológicas

Centauro

Metade homem, metade cavalo.

Ciclopes

Criaturas gigantes com um olho no meio da testa

Minotauro

Metade touro, metade homem guardava o labirinto de Creta

Pégaso

Cavalo alado

Lendas mitológicas

Ariadne

Dédalo construiu o labirinto de Creta, onde vivia o Minotauro (metade monstro metade homem).Exigia sacrifícios humanos cujas vítimas eram raparigas atenienses. Teseu entrou no labirinto com a ajuda do fio de Ariadne, tendo morto o Minotauro.

Narciso

Ao beber água de uma fonte viu a sua imagem refletida e apaixonou-se por si próprio. Não podendo satisfazer a sua paixão morreu de desgosto e o seu corpo transformou-se na flor que ficou com o seu nome.

Sísifo

Foi condenado pelos deuses a transportar uma pedra às costas para cima de um monte. Quando chegava lá acima a pedra escorregava-lhe dos ombros e rolava até ao sopé do monte. Sísifo tinha de  ir buscar outra vez. Estava condenado a fazer isto eternamente.

Tântalo

Foi condenado pelos deuses a ficar eternamente com fome e sede. Estava acorrentado a uma árvore e os frutos desciam até estar ao seu alcance, mas quando estendia as mãos para apanhá-los, os frutos fugiam. Do mesmo modo, o lugar onde estava ficava inundado de água e quando tentava beber a água escapava-se do seu alcance.

      

Para os Gregos, os deuses eram descendentes da terra – Gaia – e do céu – Urano – e tinham grandes semelhanças com os homens.

O Monte Olimpo é o ponto mais alto de toda a Grécia, com uma altitude de 2 917m. Na antiga Grécia, foi considerado a casa dos deuses importantes. Segundo reza a história, a entrada para o Olimpo fazia-se através de um portão feito de nuvens, isto talvez se possa atribuir ao fato de o cume da montanha, devido à sua altitude, estar sempre coberto de nuvens.

Gregos

Romanos

Deuses – simbologia

Zeus Júpiter Pai dos deuses, filho de Cronos e de Reia. A esposa de Zeus foi sua irmã Hera. É designado também por Padre, Tonante e Jove. Era representado como homem forte e barbado, de aspecto majestoso, com um raio na mão sobre uma águia.
Afrodite Vénus Filha de Zeus e Dione. É a deusa do amor e da beleza. Hefesto recebeu-a como esposa, mas esta, incapaz de lhe ser fiel, procurou o amor de Ares,  de quem teve Eros. Amou também Hermes, Dioniso, Anquises (de quem teve Eneias) e Adonis.
Ares Marte Deus da guerra, presente em todos os combates. Era representado como um guerreiro completamente armado, acompanhado por um galo. Fiel apaixonado de Vênus.
Apolo Deus das Artes. O deus mais venerado depois de Zeus. Identifica-se com o Sol – daí ser chamado também Febo (brilhante) – e o ciclo das estações do ano..
Artemis Diana Filha de Zeus e da irmã de Apolo. Deusa da caça e da castidade é representada num coche, tirada por corças, armada de arco e flechas com setas e uma meia-lua sobre a cabeça.
Atena Minerva Deusa da Sabedoria e da guerra justa possuía uma disposição pacífica, representando a preponderância da razão e do espírito sobre o impulso irracional. Deusa protectora de Atenas e outras cidades da Ática. Acredita-se que ela era originalmente a deusa-serpente de Creta. Imagem guerreira, com capacete, lança, escudo e couraça.
Eolo Deus dos ventos
Poseídon Neptuno Deus dos mares era filho de Cronos, deus do tempo, e Reia, deusa da fertilidade e irmão de Zeus e Hades. É representado como um homem forte, de barbas brancas, com um tridente na mão e acompanhado de golfinhos e outros animais marinhos.
Hefestos Vulcano Deus do fogo. Patrono dos ferreiros e dos artesãos em geral, é responsável, segundo a lenda, pela difusão da arte de usar o fogo e da metalurgia. Era geralmente representado como um homem de meia-idade, barbado, vestido com uma túnica sem mangas e com um gorro sobre o cabelo desgrenhado.

Heróis Gregos

Além dos vários deuses, a quem adoravam e veneravam, existem ainda muitas histórias sobre heróis gregos que realizavam as mais destemidas façanhas e se embrenhavam nas mais empolgantes aventuras.

Aquiles

Era o guerreiro mais forte dos gregos. Filho de um homem (Peleu) e da deusa Tétis. Quando nasceu sua mãe mergulhou-o nas águas de um rio que protegiam todas as partes do seu corpo banhadas pelas águas. Mas como a mãe lhe pegou pelo calcanhar foi só esta parte do corpo que era vulnerável. Morreu no assalto a Troia, trespassado por uma flecha que se cravou no seu calcanhar.

Hércules

Herói grego muito forte enfrentou doze dificuldades, conhecidas pelos doze trabalhos de Hércules.

Jasão

Chefiou a expedição dos argonautas em busca do “velo de ouro” tendo enfrentado imensos perigos e aventuras.

Perseu

Filho de Zeus, casou com Andrômeda. Na sua viagem de regresso da Etiópia transformou os seus companheiros em pedra ao mostrar-lhes a cabeça da Górgona.

Édipo

Rei de Tebas decifrou o enigma da esfinge. Sem o saber matou o pai e casou com a própria mãe. Mais tarde, quando soube o que fizera, cegou-se a si próprio para não contemplar o horror que cometera.

Teseu

Venceu o Minotauro que era o monstro que existia no labirinto de Creta, com a ajuda de Ariadne.

Ulisses

…..

Animais e monstros mitológicas

Centauro

Metade homem, metade cavalo.

Ciclopes

Criaturas gigantes com um olho no meio da testa

Minotauro

Metade touro, metade homem guardava o labirinto de Creta

Pégaso

Cavalo alado

Lendas mitológicas

Ariadne

Dédalo construiu o labirinto de Creta, onde vivia o Minotauro (metade monstro metade homem).Exigia sacrifícios humanos cujas vítimas eram raparigas atenienses. Teseu entrou no labirinto com a ajuda do fio de Ariadne, tendo morto o Minotauro.

Narciso

Ao beber água de uma fonte viu a sua imagem refletida e apaixonou-se por si próprio. Não podendo satisfazer a sua paixão morreu de desgosto e o seu corpo transformou-se na flor que ficou com o seu nome.

Sísifo

Foi condenado pelos deuses a transportar uma pedra às costas para cima de um monte. Quando chegava lá acima a pedra escorregava-lhe dos ombros e rolava até ao sopé do monte. Sísifo tinha de  ir buscar outra vez. Estava condenado a fazer isto eternamente.

Tântalo

Foi condenado pelos deuses a ficar eternamente com fome e sede. Estava acorrentado a uma árvore e os frutos desciam até estar ao seu alcance, mas quando estendia as mãos para apanhá-los, os frutos fugiam. Do mesmo modo, o lugar onde estava ficava inundado de água e quando tentava beber a água escapava-se do seu alcance.

 

Teorias sobre a origem do homem americano e brasileiro

Heráclito

Parmênides de Eléia

Pre socráticos

Heráclito

FILOSOFIA

Para Heráclito tudo o que existe está em permanente mudança ou transformação
Para Heráclito tudo o que existe está em permanente mudança ou transformação

Para Heráclito de Éfeso, nascido por volta de 540 a.C., tudo o que existe está em permanente mudança ou transformação. A essa incessante alteração deu o nome de DEVIR.

O mundo, segundo Heráclito, é um fluxo permanente em que nada permanece idêntico a si mesmo. Tudo se transforma no seu contrário. “A guerra é mãe e rainha de todas as coisas”. É da luta entre os contrários, ou seja, do devir, do tornar-se, do vir-a-ser, que eles se harmonizam numa unidade. O Lógos (razão, discurso sobre o ser) é mudança e contradição.

Isso significa que a verdade é dialética, isto é, as palavras dizem as coisas em sua eterna transformação. Os nossos sentidos enganam-nos, pois enxergamos as coisas imóveis, estáveis, com uma forma própria e determinada. Porém, nosso pensamento capta a instabilidade e mutabilidade dos seres. “É impossível entrar no mesmo rio duas vezes”. As águas já são outras e nós já não somos os mesmos.

É na síntese entre os pares de contrários (o dia que se torna noite que se torna dia novamente; a vida que se torna morte e vice-versa; o quente que se torna frio e o frio que se torna quente; o seco que umedece, o úmido que seca, etc.), da multiplicidade contraditória que surge a unidade dialética que nos permite algum conhecimento, ainda que passageiro.

O Obscuro, como era conhecido Heráclito, concebeu o FOGO como o princípio eterno que causa a mudança e concebe Deus como a harmonia ou síntese entre os contrários. É uma concepção de realidade que permite compreender o mundo somente no seu devir e na unidade dos opostos. Quer dizer que a doença torna valorosa a saúde e que jamais entenderíamos o significado da justiça se não houvesse a ofensa. O sentido, o significado está na harmonia, na conciliação entre os vários pares de contrários.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Por isso, é muito provável que a imagem do inferno criada pela Igreja Católica e pelos artistas ocidentais tenham referência à filosofia heraclitiana. Isso porque o fogo que significa mudança, instabilidade se opõe radicalmente ao ar que representa o céu, o repouso em que Deus é fonte confiável do conhecimento e da ordem.

Por isso também, em geral, os movimentos contra a ordem estabelecida no decorrer da história (como o comunismo contra o capitalismo; o rock contra a sociedade consumista e alienada, o feminismo, etc.) fazem reverência à mudança, ao vermelho (fogo) e ao diabo, pois sua intenção é promover a instabilidade contra os sistemas.

É interessante observar como a filosofia de Heráclito permanece atual. No que se refere à matéria, essa é mutável e concebida pelos cientistas como eternamente em transformação (como afirmou o químico Lavoisier no século XVIII, “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”). A atualidade de seu pensamento também pode ser observada no Princípio da incerteza de Heisenberg, físico que ajudou a desenvolver a mecânica quântica no século XX, que diz ser impossível afirmar com exatidão a posição de um elétron em um átomo em razão da metodologia de aferição.

Também podemos observar o Devir em nosso próprio metabolismo, pois constantemente estamos incrementando matéria ao nosso corpo (alimentação que permite o crescimento) e o desgaste físico com a idade (que é a perda de matéria).

Assim, concebe-se o pensamento de Heráclito como a base do materialismo, ou seja, da filosofia que concebe como unicamente existente, em todos os níveis, a matéria.

https://youtu.be/pgcey3t4pOw
https://youtu.be/PrnpmmSas5Y?t=38

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui