Cunhada do Ex-Presidente José Sarney (MDB), a desembargadora Nelma Sarney está insatisfeita com os custos do trabalho em regime de home office, implementado diante da necessidade do isolamento social na pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a Folha de S. Paulo, ela pediu que a presidência do Tribunal de Justiça do Maranhão considere compensar os gastos os mais assumidos pelos magistrados, como eletricidade, internet e compra de equipamentos, no trabalho remoto.

No ofício enviado ao TJ maranhense, ela alega que o pedido não se trata de ajuda de custo, mas de “justa e correta compensação de gastos”. Segundo a publicação, só o salário-base de um desembargador no Brasil é de R$ 35,5 mil, sem incluir os penduricalhos incorporados à remuneração.

“Se Nelma ganhar a questão, abre procedência para todas as categorias que estão trabalhando de forma híbrida, online , sobretudo os professores que nesse tempo de pandemia tem trabalhado o dobro do seu expediente normal, o custo com energia, internet e as complicações na visão aumentaram.

Fiquem atentos professores, os direitos são iguais, se o Tribunal proporcionar causa ganha o Sindicato da nossa categoria tem por obrigação tomar as devidas providências.

Faça seu comentário sobre o caso

Com informações do IBahia Notícias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui