O ex-ministro da educação Milton Ribeiro foi preso nesta quarta-feira (22) na operação da Polícia Federal Acesso Pago, que investiga supostos crimes de tráfico de influência e corrupção na destinação de verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Além do ex-ministro, que comandou a pasta entre 2020 e março deste ano, a polícia cumpriu um total de 5 mandados de prisão e 13 de busca e apreensão. A operação desta terça foi deflagrada após identificação de indícios de prática criminosa para a liberação de verbas públicas por parte da Controladoria Geral da União.

As ordens judiciais foram emitidas pela 15ª Vara Criminal do DF e a investigação corre em sigilo. A operação foi autorizada pelo Supremo Tribunal Federal, já que um dos investigados tem foro privilegiado.

As suspeitas de desvios em recursos do FNDE foram alvo de investigação do Tribunal de Contas da União em abril. O caso foi revelado pela imprensa em março deste ano e motivou a exoneração de Milton Ribeiro naquele mês.

A operação da PF foi comentada pelo presidente Jair Bolsonaro, durante entrevista à Rádio Itatiaia, retransmitida nas redes sociais do presidente.

O Ministério da Educação em nota afirmou que está colaborando com as investigações que envolvem a gestão anterior da pasta e que não compactua com qualquer ato irregular. 

Entramos em contato com a defesa do ex-ministro Milton Ribeiro, que não enviou resposta até o fechamento da reportagem.

Em coletiva, o atual ministro da Educação, Victor Godoy, disse que não foi comunicado oficialmente da prisão de Milton Ribeiro e que não tem conhecimento de irregularidades no ministério.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui