O presidente autoproclamado José de Abreu rebateu a ameaça de processo contra ele, feita por Jair Bolsonaro nesta quinta-feira, 6; “Para quem já foi processado duas vezes por Gilmar Mendes, isso é pinto! Ops, desculpe o uso de palavra de baixo calão. Esqueci que @jairbolsonaro é defensor da moral, da religião e dos bons costumes. Inclusive do costume de apoiar milícias”, escreveu Zé de Abreu pelo Twitter; após divulgar vídeo com conteúdo obsceno, Bolsonaro tem sanidade posta em dúvida pelo PT pode ser alvo de impeachment

O presidente autoproclamado José de Abreu rebateu a ameaça de processo contra ele, feita por Jair Bolsonaro nesta quinta-feira, 6. “Para quem já foi processado duas vezes por Gilmar Mendes, isso é pinto! Ops, desculpe o uso de palavra de baixo calão. Esqueci que @jairbolsonaro é defensor da moral, da religião e dos bons costumes. Inclusive do costume de apoiar milícias”, escreveu Zé de Abreu pelo Twitter.

Após divulgar em conteúdo obsceno para mais de três milhões de seguidores no Twitter, configurando quebra de decoro para o cargo que ocupa, Jair Bolsonaro agora decidiu partir para cima do presidente autoproclamado José de Abreu. Também pelo Twitter, Bolsonaro afirmou que irá processar o presidente Zé de Abreu. “Estamos processando alguns e este ‘meteoro’ será o próximo!”, escreveu Bolsonaro em resposta a tweet em que Zé de Abreu o chamava de “fascista” Após a divulgação do vídeo de conteúdo obsceno, o líder do Pt, PAulo Pimenta, chegou a questiona a sanidade de Bolsonaro. “Não podemos descartar a possibilidade de solicitar um teste de sanidade mental. O país pode estar nas mãos de uma quadrilha, além de envolvida com corrupção e milícias, chefiada por um psicopata que nos levará ao caos. A conta dele deve ser banida imediatamente pelo Twitter!”, postou Pimenta (PT-RS), depois que Jair Bolsonaro publicou vídeo obsceno na sua conta

O jurista Miguel Reale Júnior, um dos autores do processo que resultou na deposição da presidente eleita Dilma Rousseff, disse que a divulgação do vídeo contendo atos obscenos por Bolsonaro configura quebra de decoro e pode justificar a abertura de um processo de impeachment.

Segundo Reale, Bolsonaro pode ser enquadrado na lei 1.079 de 1950, que diz que é crime contra a probidade na administração pública “proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo” Para quem já foi processado duas vezes por Gilmar Mendes, isso é pinto! Ops, desculpe o uso de palavra de baixo calão. Esqueci que  é defensor da moral, da religião e dos bons costumes. Inclusive do costume de apoiar milícias.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui