Na discussão que acontece neste momento no grupo de WhatsApp dos deputados do PMDB, Celso Jacob, do Rio de Janeiro, afirmou que a falta de atenção dispensada por ministros do governo Michel Temer aos parlamentares faz com que ele se sinta “a filha da empregada pobre mas gostosa”.
Mandando às favas o politicamente correto, a educação e o respeito, Jacob definiu o que seria para ele “a filha da empregada”:

— Só serve para comer e depois nem fala mais.

A assessoria de imprensa de Celso Jacob enviou nota em que ele afirma que suas frases no WhatsApp “jamais corresponderam às suas impressões sobre a categoria de profissionais batalhadoras que são as empregadas domésticas”. O deputado diz ainda que as mensagem não condizem “com seu pensamento e maneira de agir, repudiando este tipo de expressão”.

O universo virtual e privado pode revelar muito do caráter de algumas pessoas, que sentem-se protegidas para expressar maneiras não muito éticas de pensar. É o ambiente em que o deputado federal Celso Jacob (PMDB–RJ) sentiu-se à vontade para expressar todo o seu preconceito.
De acordo com a coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo, que teria conseguido acesso a um grupo de Whatsapp fechado de parlamentares do PMDB, Jacob teria dito que “filha de empregada só serve para comer”. A frase teria sido enviada em meio a uma discussão entre deputados peemedebista sobre as novas nomeações de Michel Temer para a Esplanada dos Ministérios.
Jacob, pela conversa, sentiu que recebe pouca atenção dos ministros de Temer, e que por isso sente-se como a “filha da empregada”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui