Bolsonaro mandou uma repórter calar a boca e fez ofensas à imprensa ao ser questionado sobre o fato de ter chegado a evento sem usar máscara, em SP. Ele já estava com o item de proteção, mas tirou a peça ao ser abordado pela repórter

Estou sem máscara em Guaratinguetá, tá feliz agora? Essa Globo é uma merda de imprensa. Vocês são uma porcaria de imprensa. Cala a boca. Vocês são uns canalhas. Vocês fazem um jornalismo canalha, canalha, que não ajuda em nada. Vocês não ajudam em nada, vocês destroem a família brasileira, destroem a religião brasileira, vocês não prestam. A Rede Globo não presta, é um péssimo órgão de informação”, declarou

Durante a entrevista à imprensa, Bolsonaro retirou a máscara de proteção que utilizava – o item é de uso obrigatório no Estado de São Paulo e é recomendado como medida sanitária contra o novo coronavírus. Seguindo o presidente, a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) também retirou a máscara que utilizava.

“Eu chego como eu quiser, onde eu quiser, tá certo, eu cuido da minha vida. Se você não quiser usar máscara, você não usa. Agora, tudo o que eu falei, infelizmente para vocês, deu certo: tratamento precoce salvou a minha vida, mais 200 pessoas no meu prédio, muitos jornalistas falam reservadamente que usaram hidroxicloroquina, que usaram ivermectina, por que vocês não admitem isso?”, disse.

Em outro momento, o presidente criticou a CNN ao ser interrompido durante uma de suas falas por uma repórter da emissora que estava no local: “vocês elogiaram a passeata [contra o governo]. Jogaram fogos de artifício contra vocês e vocês elogiaram eles”.

Bolsonaro também foi questionado sobre as 500 mil mortes causadas pela covid-19 no Brasil e voltou a defender o tratamento precoce contra a doença– medida rejeitada por especialistas. “Lamentos todos os óbitos, lamento muito. Qualquer óbito é uma dor na família. O governo federal teve coragem de falar em tratamento precoce”, disse.

Bolsonaro repetiu que é a “prova viva” de que o tratamento precoce funciona. Não há, no entanto, qualquer comprovação científica de que os medicamentos do chamado tratamento precoce, como a hidroxicloroquina e a ivermectina, tenham eficácia contra a covid-19.

Fonte: O Poder

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui